RCA FEST

+ GUEST'S

29 Jul 2017
Abertura de Portas: 22h00
Início: 22h00
Cons. Min.: 6,99€

RCA

RCA2

Os RCA formam-se na Primavera de 1999. Sérgio “Animal” Duarte (voz e baixo), Ricardo Mendonça (guitarra) e Paulo Martins (bateria e voz), compunham o trio que já tocava desde o início de 1998 sob o nome de SÉRGIO & ANIMAIS. Após o contrato discográfico com a Música Alternativa, iniciou-se a tour relativa ao álbum, ficando um vazio no circuito de bares onde se tocavam as covers. Para colmatar esse vazio, convidou-se o Rui Duarte (voz) para integrar o colectivo e formar a Real Companhia dos Animais (RCA). Saído directamente dos PENISHMEN, a integração foi fácil e rápida. Nesse mesmo ano de 1999, os RCA realizaram cerca de 40 actuações na zona de lisboa e arredores. A participação de outros músicos ficou então em aberto, desde que a sonoridade e espírito do grupo se mantivesse imaculada.

O primeiro ano mais a sério é o ano 2000. Os RCA realizaram 76 actuações. Convém realçar o facto de os elementos que compunham os RCA nesta altura, fizeram também os espectáculos com SÉRGIO & ANIMAIS, RAMP, CORVOS, LINHA DA FRENTE e MEGAFONE, juntamente com as respectivas promoções dos álbuns desses projectos (tudo junto são quase 200 espectáculos).

O ano de 2001 proporcionou 86 actuações para os RCA, continuando os músicos a participar noutros projectos (fim da tour de SÉRGIO & ANIMAIS e MEGAFONE). Foi um ano “regular”, mas que começou a revelar pormenores interessantes, no que respeita ao público, que começou a seguir a banda para todo o lado. Por esta altura, os RCA já saiam da zona de Lisboa, tocando também no centro e sul do país.

Chegou o ano de 2002, recheado de boas e más notícias. Os RCA tocaram 86 vezes, ganharam mais adeptos mas perderam o baterista. A última actuação com o Paulo foi numa sexta-feira 13 (coincidência) de Setembro, em Odivelas no bar “Cantinho”. De imediato foi feito o convite para o baterista que já tinha substituído o Paulo ocasionalmente. O convite foi aceite e assim entrou o Marte Ciro para a bateria. Numa semana tudo ficou pronto para a estreia do Marte e, no dia 20 de Setembro no “Atéqu’enfim” em Lisboa, deu-se o acontecimento. Com o Marte, iniciou-se uma das fases mais coloridas e intensas dos RCA.

No ano de 2003, repetiu-se a dose de boas e más notícias. Os RCA fizeram 96 actuações, participaram noutros espectáculos (fim dos espectáculos com LINHA DA FRENTE), ganharam mais público, mas… perderam outra vez o baterista. A despedida foi mais uma vez pacífica e aconteceu na data de 26 de Outubro em Olhalvo na colectividade local. Durante todo o mês de Outubro preparou-se o novo baterista para a estreia no dia 7 de Novembro no “Atéqu’enfim” em Lisboa. Assim entrou o Daniel Cardoso.

O ano de 2004, ficou marcado pela estreia do espectáculo acústico denominado simplesmente “RCA Acústico”. Os RCA tocaram 78 vezes, sempre com bastante público. Começaram os preparativos para a criação do site oficial da banda, que estará pronto no mês de Janeiro de 2005.

2005 proporcionou a oportunidade de ver os RCA em 73 ocasiões, com recordes de audiência em muitos locais. Mas foi o site da banda que marcou este ano. Inaugurado em 10 de Janeiro, com conteudos pouco elaborados e sem divulgação organizada, chegou ao último dia do ano com mais de 7200 visitas. No último trimestre já havia conteudo elaborado e imagem renovada, pronunciando um ano de 2006 carregado de boas notícias para este colectivo de músicos.

Os RCA fizeram 86 actuações durante o ano de 2006. Contrariando a crise do país, o colectivo não só manteve, como aumentou os índices de produtividade. Este ano ficou marcado pela saída (sempre pacífica) do baterista. Daniel Cardoso dedica-se às gravações sendo substituído temporariamente por Paulinho durante o mês de Outubro. Em Novembro, Nuno Moleiro abraça o projecto RCA e é com ele que se fazem as actuações até ao fim do ano. 2006 fica manchado pelo roubo de equipamento de que a banda foi alvo, mas a notícia das mais de 20000 visitas no site ainda antes do natal, devolveu a força necessária para superar a adversidade.

O ano de 2007 revelou-se um ano relativamente estável no número de actuações dos RCA. As 88 actuações realizadas revelam o contínuo interesse do público neste projecto. Este ano teve como pontos altos a actuação dos RCA em França e o lançamento de merchandising oficial (T-shirts). Pretende-se para o ano seguinte o lançamento do novo site (www.rcaband.com), bem como outros espaços na net como o Myspace, hi5 entre outros.

2008 foi o ano de crescimento efectivo do trabalho dos RCA. Foram realizadas 112 actuações, uma nova edição de t-shirts (novo layout), foi criado um novo formato de actuação (RCA LIGHT) e finalmente o lançamento do myspace oficial da banda (www.myspace.com/rcaband). Numa conjunctura de crise, os RCA preparam-se para o ano do seu 10º aniversário, com alguns projectos interessantes bem como alguns espectáculos inéditos.

O ano de 2009 permite 84 actuações e vários períodos de férias. Foi também o ano do 10º aniversário da banda e que proporcionou espectáculos inesquecíveis. O ponto alto do ano foi a actuação no Palco Principal do Festival Ilha do Ermal, consagrando a banda a um nível nunca antes atingido por uma banda de covers Portuguesa. A década de existência fica definitivamente marcada pela saída de um dos seus elementos mais antigos. O Rui Duarte toma a difícil decisão de sair dos RCA, por não conseguir ter mais tempo para dedicar ao projecto. A banda faz um espectáculo de despedida do Rui com casa cheia no dia 26 de Dezembro e fecha um ciclo de 10 anos. Durante os ultimos meses do ano prepara-se o novo espectáculo com um novo guitarrista, ficando o Sérgio na Voz, deixando o lugar do Rui Duarte em aberto.

Fotografias

comentários