HALLOWEEN PARTY – BIZARRA LOCOMOTIVA

DAPUNKSPORTIF + WELLS VALLEY + MISS LAVA

31 Out 2015
Abertura de Portas: 21h00
Início: 21h30
Entrada: 10,00€

BIZARRA LOCOMOTIVA

197379_10151071622331792_274081626_n

Género
Industrial
Membros da banda
Rui Sidonio – Vox
Miguel Fonseca – Guitarras
Alpha – Maquinas
Rui Berton – Bateria
Naturalidade
Lisboa

Bio Bizarra Locomotiva 2013

Precursores da música Industrial no nosso país, os Bizarra Locomotiva são hoje a principal referência do género no panorama musical Português.

A sua história remonta a 1993, quando Rui Sidónio (voz) e Armando Teixeira (voz e maquinaria) formam uma banda com vista a participar no Concurso de Musica Moderna da Câmara Municipal de Lisboa, um evento importante, de âmbito nacional, que já havia dado a conhecer grandes talentos.

Esse seria também o caso dos Bizarra Locomotiva que, vencendo o concurso vêm as portas abrirem-se e participam no conceituado festival francês Printemps de Bourges, em 1994. O ano de 1994 revela-se profícuo em lançamentos: Abril o mes escolhido para o álbum de estreia homónimo, sucedido em Novembro de, First Crime, Then Live. O disco estava organizado em duas partes, uma gravada em estúdio e cantada em inglês, e a outra gravada ao vivo em Franca e vocalizada em Português.

Miguel Fonseca (guitarra – Thormenthor, Mofo, Plastica) vem, entretanto, reforçar o line-up, contribuindo decisivamente para o crescimento do colectivo.
Após participarem na 7ª Bienal de Jovens Criadores da Europa Mediterrânica, os Bizarra Locomotiva empreendem uma bem sucedida tournée nacional. O expoente máximo no que aos espectáculos ao vivo diz respeito, todavia, alcançado em Agosto de 1997, quando actuam no Festival Sudoeste, no âmbito da promoção ao EP Fear Now, a par de bandas como os Marilyn Manson e Blur.

Bestiário, de 1998, constitui o álbum-paradigma do grupo. Assentando no conceito “O Homem Besta e a Besta Homem” – através do qual recriam figuras mitológicas que retrata metaforicamente o Homem, o disco evidencia uma abrangência musical mais ampla, acolhendo novos ambientes e sonoridades. A vertente estética assume, de igual modo, importância acrescida: o conceito lírico e musical transposto para o palco, no qual Rui Sidónio sai do interior de um “casulo”, na abertura dos espectáculos, simbolizando o nascimento da Besta.

Em 2002, regressam com Homem Maquina, um novo CD conceptual que, de algum modo, da continuidade ao anterior. A Humanidade uma vez mais objecto de critica feroz, pois, embora tenha criado as máquinas, a elas culpabiliza por todos os males à face da Terra. A fronteira entre Homem e máquina esvanece-se. A máquina humaniza-se, o Homem maquina-se. A par do álbum, um novo conceito estético e de espectáculo elaborado, desta feita envergando a banda fatos que simbolizam o Homem Maquina. Rui Berton junta-se ao colectivo bizarro na bateria.

Com o ano de 2004 a chegar ao fim, a Bizarra Locomotiva entra em mais uma estacão, num regresso a sonoridades mais cruas que tinham sido intencionalmente negligenciadas no anterior registo retomando a raça pura do Rock industrial. Nesta nova paragem ferroviária os gritos regressaram quase em omnipresença.

“Ódio” o 1º trabalho gravado pela formação actual, que já tinha estado em palco a promover o anterior “homem máquina” e onde o papel de compositor musical principal e produtor passa para as mãos de Miguel Fonseca e as líricas para o subconsciente de Rui Sidónio num resultado explosivo e feito para ruir os palcos á passagem da Locomotiva, partilhando-os com bandas como os Young Gods.
Com 19 anos de existência este projecto conta com uma carreira invejável no panorama nacional com 9 discos editados e com uma platina aquando a participação no tributo aos Xutos e Pontapés com o tema “Se me amas”.

A actuação da banda no festival Super Bock Super Rock 2006 ao lado dos Korn e dos Soulfly, foi a consagração, deixando toda a gente boquiaberta com o poder da Bizarra Locomotiva confirmando ser o expoente máximo da música industrial em Portugal e marcando com impacto para uma vida sempre quem vê os seus espectáculos.

Liderando a locomotiva está Rui Sidónio – um dos mais carismáticos gritadores portugueses de sempre a que ninguém fica indiferente ao ver as suas prestações contagiantes em palco.

2009 a 2013 foram marcados pelo álbum mais negro de sempre da história do Rock Português.

Aclamado pela crítica, álbum do ano em vários escaparates, com prefácio do escritor consagrado internacionalmente José Luís Peixoto, o novo “Álbum Negro” é o mais sombrio, pesado e denso trabalho da já longa carreira da banda contando com um convidado muito especial – Fernando Ribeiro dos Moonspell, passageiro assíduo de longa data desta Bizarra Locomotiva.

Evento de lançamento de Álbum Negro esgotadíssimo deixando uma fila enorme de passageiros por entrar tem sido exemplo em quase todas as estações por onde passa a Bizarra Locomotiva, já considerada uma banda de culto a par dos Mão Morta por levar sempre atrás de si uma dedicada legião de fãs auto-proclamados de “Escumalha”. O carismático Alpha junta-se ao colectivo bizarro no controlo da sala das máquinas.

Já com mais de 30 datas da Tour Álbum Negro por estradas de Portugal tendo maior destaque a passagem pela F.I.L. na celebração do Dia do Metal como convidados especiais dos Moonspell e também pelo Coliseu do Porto como convidados dos Fields of The Nephilim.

A Banda está a preparar entretanto o novo disco para sair em breve não fazendo pausas no andamento da Locomotiva.

Palavras escritas e gritadas por quem sofre o mundo.

Baterias espancadas por quem conhece o ódio.

Guitarras que urram a dor.

Máquinas que não param e açoitam em violência.

Mais poderosa que nunca a Bizarra Locomotiva continua em viagem; transportando as histórias dos passageiros que viajaram, viajam e viajarão nela.

Esta é a Bizarra Locomotiva de hoje, 20 anos de carreira, desde 1993 em movimento, e preparada para viajar muitos mais anos.

Até á próxima estação!

FORMAÇÃO ACTUAL:

Rui Sidónio – Vox
Miguel Fonseca – Guitarra
Alpha – Máquinas
Rui Berton – Bateria

Discografia:

– “Bizarra Locomotiva” – bio cd 10 simbiose records – 1994
– “First crime, Then live” – bio cd 14 simbiose records – 1995
– “Fear Now” – Remixes – bio cd 19 simbiose records – 1996
– “Bestiário” – bio cd 27 simbiose records – 1998
– “XX Anos XX Bandas” – Tributo aos Xutos e Pontapés – (Compilação) – EMI – 1999
– “Homem Máquina” – MetroDiscos 011 02 – 2003
– “Cada Homem” – Single – MetroDiscos 006 02 – 2003
– “Ódio” – Metrodiscos 027 24 – 2004
– “Álbum Negro” – Ragingplanet Records – 2009
– “Egodescentralizado” – Split 12” – Record Store Day – Glam-O-Rama / Ragingplanet 2012

Fotografias

Vídeos

DAPUNKSPORTIF

  • Género

    Rock

  • Membros da banda

    João Guincho-guitar
  • Paulo Franco-vocals and guitar
  • João Leitão-bass
  • Zé Carlos-drums

  • Naturalidade

    Peniche

  • Companhia discográfica

    Dapunksrecords

  • Breve descrição

    Booking -discos riscados agência – dapunksportifband@gmail.com

  • Biografia

    DAPUNKSPORTIF
  • Os Dapunksportif surgem em finais de 2004 em Peniche (Portugal) tendo por base o duo e núcleo criativo: João Guincho e Paulo Franco, companheiros de longa data noutros projectos e o produtor Marco Jung.
  • “Overdrive”, a maqueta de apresentação, cedo produziu boas críticas levando a banda a participar em diversos concursos e a pisar palcos de Norte a Sul de Portugal. Tiveram honras de abrir espectáculos para os Xutos e Pontapés na digressão Três Desejos, que culminou no Coliseu dos Recreios. Também em Espanha foram elogiados e voltaram entre os cinco finalistas do concurso Ibérico “Yamaha X – Band 2006”. Também tivemos ocasião de os ver incendiar o Palco Quinta dos Portugueses no Festival Super Bock Super Rock XL (edição 2006) ao lado de bandas como: Tool, Alice In Chains, Deftones, Placebo entre outros.
  • Em Junho de 2006 foi lançado:”Ready!Set!Go!”, produzido pelos DaPunkSportif e Marco Jung o álbum de estreia da banda, com o selo da editora Rastilho. Os 7 temas (e o vídeo “I Can´t Move” como bónus) mostram-nos que estamos na presença de uma banda Rock na verdadeira acepção da palavra: Rock visceral, musculado e Stoner qb, tudo apoiado por uma secção rítmica demolidora, um groove frenético e riffs sem limites temporais. Aqui fala-se de velocidade, de veículos motorizados, de encontros inesperados, da necessidade de embarcarmos numa viagem sem regresso marcado, de vivermos cada dia das nossas vidas como se fosse o último, de Rock tocado com a força demolidora de uma bigorna.
  • O álbum recebeu excelentes críticas pela imprensa nacional e estrangeira, tendo ficado no top5 do Blitz escolha dos leitores bem como no top de vários sites musicais especializados. O single “I Can´t Move” integrou a playlist da Antena 3 e o respectivo videoclip estreou-se no programa Brand New da MTV PT, tendo integrado a sua playlist e sido reconhecido como um dos melhores vídeos nacionais de 2006. A faixa “I can’t move” integrou ainda a compilação “Novo Rock Português”, lançado pela Chiado Records.
  • Durante o ano de 2007 a banda passou a barreira dos 70 concertos em Portugal e Espanha, destacando-se as actuações em Xan Xuan Beach Festival (Avilés, Astúrias), primeira parte de Fu Manchu no Paradise Garage, primeira edição do Festival Alive figurando no cartaz ao lado de nomes como: White Stripes, Smashing Pumpkins, Beastie Boys, Pearl Jam; e a digressão “Kick Off the Rock Fest” com Fonzie e Vicious Five.
  • No Verão de 2007 lançou o segundo single “Private Disco”, integrando mais uma vez a playlist da rádio Antena 3 e respectivo videoclip a rodar em vários canais televisivos. No final do ano foram convidados e participaram na série da Antena 3 “3 Pistas” .
  • Depois do arranque acelerado e vertiginoso que “Ready!Set!Go!” proporcionou amotinam-se e surge “Electro Tube Riot” produzido pelos DaPunkSportif e Marco Jung. Este é o segundo álbum da banda, com edição e distribuição dos próprios e da Lisboagência.
  • A gasolina é agora substituída por electricidade e, na audição destes 11 temas, propõe-se uma viagem por entre aglomerados de válvulas incandescentes, alimentadas por guitarras em despique que aquecem o cimento cinzento da urbe e invadem o cérebro letárgico, provocando ondas de espasmos.
  • O estilo continua a ser Rock, com tracção a duas guitarras em riste, assente numa secção rítmica bem musculada. Aqui invoca-se o espírito “old school” dos idos anos 70, fazendo tangentes a algum do Hard Rock/ Heavy Metal dos anos 80 ( sem direito a permanentes!!! ) sempre com a mira apontada na procura e essência do formato de canção.
  • A bateria, motor essencial deste processo, ficou a cargo dos convidados: Marco Jung, Zé Carlos (Umpletrue, Wonderland), Fred (Yellow W Van, Oioai, Buraka Som Sistema) e Kalú (Xutos&Pontapés).
  • O primeiro single extraído: “Friends (come and go)”, voltou novamente a integrar a playlist da Antena 3 tendo a banda sido convidada para um pequeno concerto acústico aquando do aniversário da mesma e bem como o respectivo videoclip com bastante rotação na MTV e SIC Radical.
  • Segue-se então, novamente, uma nova digressão com bastantes concertos por Portugal e Espanha em Festivais de Verão, evento Levi’s Unbuttoned e Concerto Vodafone Flash.
  • Actualmente, a banda prepara o seu terceiro longa duração e procura editoras interessadas em editar o seu trabalho e, de referir que esta é detentora de todos os direitos das edições anteriores.
  • Os DaPunkSportif live são: Paulo Franco (Voz e Guitarra) e João Guincho (Guitarra e backings), Zé Carlos (Bateria) e João Leitão(baixo).

Fotografias

MISS LAVA

  • Género

    Heavy Rock n’Roll Disaster

  • Membros da banda

    Johnny Lee – Vocals,
  • K. Raffah – Guitars,
  • J. Garcia – Drums,
  • Ricardo Ferreira – Bass

  • Naturalidade

    Lisbon

  • Companhia discográfica

    Small Stone Records

  • Breve descrição

    Red Supergiant Worldwide Street Date Aug. 23rd by Small Stone Records.

  • Biografia

    “Red Supergiant” worldwide release with Small Stone Records! Street date Aug. 23rd. Download available here: http://www.smallstone.com/albuminfo.php?album=137

  • Localização atual

    Lisbon

  • Interesses da banda

    Playin’ and tourin’ and makin’ rock n’roll and babies

  • Site

    misslava.com


  • Contacto de imprensa

    misslava@misslava.com

Fotografias

comentários