ARTILLERY

RAZE + PHOBOS PREACHER

10 Abr 2016
Abertura de Portas: 18h30
Início: 19h00
Entrada: 18,00€

Artillery (band) |Den|
Thrash Metal from Denmark Since 1982.
Raze |Sp|
PhoboS PreacheR |Sp|
+ Banda a anunciar.

Concerto exclusivo em Portugal!

Data – Domingo 10 Abril
Local – RCA CLUB – Lisboa
Horário: 19:00
Bilhetes: 16€ (Venda antecipada) – 18€ (Próprio dia)

Bilhetes Promocionais:
25 Primeiros Bilhetes – venda via e-mail (10€ Cada) – Já disponíveis!!
»»» Primeiros 25 pedidos via e-mail: Notredame.promo@gmail.com »»» Assunto: Artillery Bilhetes Promocionais

ARTILLERY

Artillery é uma banda de thrash metal da Dinamarca criada em 1982 e que participou do desenvolvimento deste gênero musical durante seu maior auge, os anos 1980.

Após o lançamento de três álbuns de estúdio, durante os anos 1980 e início de 1990 , o Artillery se desfez em 1991, mas decidiu reformar sete anos mais tarde, com o lançamento do álbum B.A.C.K., em 1999. Em 2000, a banda se desfez mais uma vez. No entanto, eles voltam novamente em 2007 e ainda estão juntos até hoje, tendo lançado mais três álbuns de estúdio.

Caracterizada pelo seus riffs marcantes de guitarra e pegada thrash metal, a banda conquistou um grande número de fãs.

História[editar | editar código-fonte]

A banda foi formada em 1982 pelo guitarrista Jørgen Sandau (roadie da banda Mercyful Fate) e pelo baterista Carsten Nielsen. Mais tarde Per Willem Onink (vocalista) e os irmãos Michael Stützer (guitarrista) e Morten Stützer (baixista) juntaram-se a eles. Ainda naquele ano, em Dezembro, eles gravam a demo We Are Dead e começam a dar os primeiros concertos.

Em Junho de 1983, Onink sai da banda, uma vez que a banda procurava um tipo de voz diferente. Assim, Carsten Lohmann junta-se à banda em Setembro. No ano seguinte, o Artillery entra nos Ole Erling’s Lydstudio para gravarem a demo Shellshock, lançada em Agosto. Em Outubro voltam ao mesmo estúdio, desta vez para a gravação de Deeds of Darkness, também demo.

A banda não estava satisfeita com o trabalho de Lohmann e começaram á procura de outro vocalista, Flemming Rönsdorf foi o escolhido. Em Janeiro de 1985 é gravada mais uma demo (Fear of Tomorrow). Em Maio voltam ao estúdio e gravam seu primeiro álbum intitulado Fear of Tomorrow. Músicas como “The Almighty”, “Time Has Come”, “The Eternal War” e “Deeds of Darkness” podem ser consideradas como “carro-chefe” do álbum.

No Verão viajam pela Bélgica e Holanda e, no final do ano, acompanham as bandas Slayer e King Diamond. Em Setembro do ano seguinte Terror Squad, o segundo álbum da banda, é gravado, porém não é lançado de imediato pois o baixista, Morten Stützer junta-se a Henrik Quaade e formam o Furious Trauma. Em 1987, Terror Squad foi finalmente apresentado ao público. “The Challenge”, “In The Trash” e “Terror Squad” chamam a atenção.

Em 1988 foram convidados para tocarem no Next Stop Soviet programme, sendo a primeira banda estrangeira a actuar na União Soviética. Depois de atuarem algumas vezes na Rússia, alguns fans quebram as regras de segurança e o Artillery é banido por serem considerados uma “influência decadente”. Ainda nesse ano o baixista Michael “Romchael” Rasmussen é contratado. Em 1989 gravaram o compacto/demo Khomaniac (demo), de duas faixas: “Khomaniac” e “Don’t Believe”. Peter Thorslund tornou-se membro da banda como baixista, e Rasmussen juntou-se a Furious Trauma.

Em 1990 é gravado o terceiro álbum, By Inheritance, o último lançado pela Roadracer Records. Considerado por críticos e pelo público como o melhor álbum da banda. Destaque para “Khomaniac”, “Don’t Believe”, “By Inheiritance”, “Bombfood”, “Back In The Trash” e “Equal At First”. Michael Stutzer deixou Artillery e reativou a banda Missing Link. Depois de alguns concertos, Flemming Rönsdorf também deixou a banda, sendo substituído por John Mathiasen.

Em Junho de 1991, a banda tocou no Roskilde Festival e no mesmo ano a demo Mind Factory é gravada, com Quaade na bateria, contudo não chegou a ser lançada. Ainda em 1991, Benny Dallschmidt entrou para o lugar de Quaade na bateria. No ano seguinte, Mathiasen é substituído por Mickey Finn. Em 1998, a editora dinamarquesa Mighty Music lança a compilação Deadly Relics, que junta todas as demos, exceto “We Are the Dead”.

Depois de um curto período de separação, os “irmãos Stützer” reativam Artillery. No Verão de 1999 Artillery assina com a Diehard Music e logo depois gravam o quarto álbum, B.A.C.K., que conta com a participação do baterista Per M. Jensen no luga de Carstem Nielsem. Destaca-se as músicas “Cybermind”, “WWW”, “Violent Breed” e “Final Show”. Pouco depois, são convidados para tocarem no Wacken Open Air.

Em Novembro de 2004, a banda dá sinais de vida, ao tocar num pequeno concerto. A banda resolve retornar, agendando dois concertos no ano 2007, e não descartam a possibilidade de lançar um DVD, o que se concretiza, no lançamento do One Foot In The Grave, Another One In The Thrash. Em 2009, o Artillery volta a ativa de vez, lançando seu quinto álbum, intitulado When Death Comes

Com este álbum, a banda volta a suas origens, porém com um toque inovador. Destaque para “10.000 Devils”, “Rise Above It All”, “Uniform” e “The End”. No ano de 2011, o Artillery lança mais um álbum de estúdio, o My Blood, seu sexto álbum. Chama atenção pelo contraste feito entre “Ain’t Givin’ In” e “Thrasher”. Destaque para “Mi Sangre (The Blood Song)”, “Monster”, “End of Eternity” e “The Great”.

Durante o mês de abril de 2012, o baterista Carstem Nielsem deixa a banda por motivos pessoais, sendo substituído por Josua Madsen, ex “Consumed” e “Club Hell”. Sua primeira performance na banda foi no Headbangers Open Air, em Hamburgo, na Alemanha. Meses depois, Søren Adamsen também deixa a banda, é escalado para seu lugar Michael Bastholm Dahl. No fim de 2013 sai um novo disco: Legions.

Fotografias

PhoboS PreacheR

  • Género

    Thrash/Death metal

  • Membros da banda

    JOSE LOPEZ”Herrero” :Bajo
  • DANY CARMONA(tron) :Voz
  • ADRYAN BAYONA :Bateria
  • DIEGO LOPEZ:guitarra
  • EDUARDO JIMENEZ”tatin”:guitarra

  • Naturalidade

    Borja

  • Companhia discográfica

    www.artgatesrecords.com
  • artgatesrecords@gmail.com
  • artgatespress@gmail.com

  • Breve descrição

    Banda de Death/Thrash Metal nacida en 2011. Vienen desde Zaragoza para presentarnos su potente Death Metal con pinceladas de Thrash.

  • Descrição longa

    Potente Death Metal con pinceladas de Thrash y letras cantadas en castellano.
  • A primeros del 2013 sacamos al mercado nuestro… Ver mais

  • E-mail

    phobospreacheroficial@outlook.es

  • Site

    http://www.phobospreacher.com

Fotografias

SPEEDEMON

  • Género
    Thrash / Speed / Heavy Metal
  • Membros da banda
    Bruno Brutus – guitarra / voz
    Jorge Bicho – guitarra
    Rui Marujo – baixo
    Luis Meco – bateria
  • Naturalidade
    Vila Franca de Xira
  • Companhia discográfica
    independente
  • Breve descrição
    Thrash / Speed / Heavy Metal
  • Biografia
    Os SPEEDEMON foram formados em meados de 2011, inicialmente apenas como um trio composto por Branco (bateria), Brutus (voz e baixo) e Bicho (guitarra)! Começam, com esta formação, a desenvolver algumas ideias e surgem três temas que servem para apresentar a banda, “Black Bull”, “1974” e “Kings Of The Road”!

    Em Outubro de 2011, a banda sofre algumas alterações e evolui para um quarteto, quando Brutus passa a assumir uma segunda guitarra e com a entrada de Peter para assegurar o papel de baixista!

    Seguem a composição de mais material com esta formação e começam a surgir as primeiras oportunidades para tocar ao vivo, com a estreia em palco a acontecer em Março de 2012.

    A experiência destes quatro elementos com outros projectos anteriores (principalmente, Reckless Pain e Encancrate), permite-lhes misturar diversas influências presentes na cena Heavy Metal: desde o NWOBHM ao Power Metal, passando pelo Thrash e Speed Metal, sempre orientados para a composição de temas rápidos.

    Em 2013, os SPEEDEMON sofrem nova alteração na sua formação, com a saída amigável de Peter e a entrada de Rui Marujo para ocupar a posição nas quatro cordas! No final desse mesmo ano, a banda começa a preparar o seu primeiro registo e o início de 2014 encontrou-os prosseguindo o trabalho de composição e gravação.

    Apenas um par de concertos foram tocados ao longo do primeiro semestre de 2014, que testemunhou também uma nova alteração na formação da banda, quando Branco decide abandonar o seu lugar na bateria.

    Neste momento, os SPEEDEMON encontram-se a trabalhar com um baterista de sessão para continuar e concluir as gravações do seu primeiro trabalho, ao mesmo tempo que continuam a procurar por um novo elemento que possa assumir a posição e com o qual se possam futuramente concentrar nas apresentações ao vivo.

Fotografias

comentários